Hospital Alberto Rassi
Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Programas





Programas

Serviço de Reabilitação Cardíaca

Ação inédita na rede pública de saúde de Goiás, o Serviço de Reabilitação Cardíaca conta com equipe multiprofissional, composta por cardiologista, fisioterapeuta e educador físico para atender pacientes cardiopatas com doenças como insuficiência cardíaca, revascularização percutânea, transplante cardíaco, valvopatias, doença arterial coronariana, entre outras.

Cardiopatas de outras unidades, que sejam elegíveis para a reabilitação cardíaca, devem procurar uma unidade básica de saúde para serem encaminhados ao HGG. São considerados elegíveis para reabilitação cardiovascular, pacientes que apresentaram pelo menos um dos seguintes quadros cardiovasculares no último ano:

• Infarto agudo do miocárdio (IAM)/Síndrome coronariana aguda (SCA)
• Cirurgia de revascularização miocárdica
• Angioplastia coronária
• Angina estável
• Reparação ou troca valvular
• Transplante cardíaco ou cardiopulmonar
• Insuficiência cardíaca crônica
• Doença vascular periférica
• Doença coronária assintomática
• Pacientes com alto risco de doença cardiovascular




Serviço Especializado do Processo Transexualizador – Ambulatório TX

O Serviço Especializado do Processo Transexualizador – Ambulatório TX, oferece atendimento médico e multiprofissional a transexuais e travestis. O atendimento aos pacientes inclui a parte ambulatorial, com acompanhamento clínico, pré e pós-operatório e hormonioterapia; e parte hospitalar, que inclui a realização de cirurgias e acompanhamento pré e pós-operatório, além de assistência interdisciplinar e multiprofissional das especialidades, na parte ambulatorial de psiquiatria, psicologia, assistência social, endocrinologia, clínico geral, enfermagem, e hospitalar (cirúrgica), nas áreas de ginecologia, urologia, cirurgia plástica, endocrinologia, enfermagem, psiquiatria e psicologia, assistência social e fonoaudiologia.

O HGG já se preparava desde 2016 para o atendimento ao público trans, quando foi assinado o protocolo de intenções pelo Governo de Goiás, diretoria da unidade e representantes do movimento LGBT. De acordo com a portaria nº 2.803/2013 do Ministério da Saúde (MS), que redefine e amplia o processo transexualizador no SUS, as cirurgias também podem ser realizadas fora de hospitais universitários. Antes, o serviço era somente realizado no Hospital das Clínicas. O Ambulatório TX começou a funcionar em setembro de 2017.

Saiba aqui como acessar o serviço especializado do Processo Transexualizador




Programa de Controle e da Cirurgia da Obesidade (PCCO)

Implantado em 1998, com o nome de Programa de Prevenção e Controle da Obesidade (PCCO) foi reestruturado e mudou de nome em 2013. A equipe ganhou profissionais exclusivos e foram adquiridas peças de enxoval destinado para este público.

O PCCO é direcionado a pacientes com obesidade grau III, ou seja, àqueles que possuem o Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 40. O atendimento multidisciplinar e integral é realizado por uma equipe multiprofissional formada por psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, fonoaudiólogos, enfermeiros e nutricionistas. A equipe tem ainda o apoio de médicos cardiologistas e pneumologistas e conta com o respaldo de todas as demais especialidades do Hospital.

A cirurgia bariátrica é a última alternativa do tratamento. O paciente é considerado pronto para ser operado quando consegue emagrecer, de forma saudável, a quantidade de quilos estipulada pela equipe médica. Após o procedimento cirúrgico, não se desliga do Hospital. É orientado a participar dos encontros mensais.





Programa Terapêutico Singular

O Projeto Terapêutico Singular faz parte do Programa Clínica Ampliada, criado pelo Ministério da Saúde, cujo objetivo é humanizar o SUS. A proposta parte do princípio de que não só médicos fazem a clínica, mas todos os profissionais de saúde fazem, cada um, a sua clínica. A ideia é que o atendimento ao paciente não deve ficar restrito ao leito e ao consultório, mas deve ser permeado por uma visão holística, que avalia todos os aspectos dele: biológico, psicológico, social e espiritual. Assim, o Projeto Terapêutico Singular é um conjunto de propostas de condutas terapêuticas articuladas, resultado da discussão coletiva de uma equipe interdisciplinar.

Ele é voltado para pacientes com tempo de internação superior a 30 dias, os que deixam a unidade de terapia intensiva (UTI) e vão para a enfermaria e aqueles que, mesmo com tempo menor de internação, apresentam características que justificam a oferta desse atendimento articulado. Os pacientes com essas características serão atendidos por um profissional designado pela chefia de cada uma das seguintes áreas: enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia e serviço social.

No Hospital Alberto Rassi – HGG, o Projeto Terapêutico Singular tem resultados altamente satisfatórios, em que a melhora das condições gerais, a partir dessa maior atenção profissional, foi visível. Por meio dele, é buscado o bem-estar de modo geral, o que inclui a família do paciente, também de forma interdisciplinar.




Núcleo de Orientação Interdisciplinar em Sexualidade (Nois)

O Hospital Alberto Rassi desenvolve uma ação continuada com o objetivo de resolver um problema que afeta a saúde e o relacionamento de muitos casais. O Núcleo Interdisciplinar de Orientação em Sexualidade (Nois) presta atendimento médico, psicológico, educativo e social às pessoas com histórico de disfunção sexual.

A equipe é integrada por enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, médicos urologistas, técnicos em enfermagem e por uma médica ginecologista. A clientela é composta por pessoas encaminhadas pelo Serviço de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS) e por pacientes que já fazem tratamento na unidade, referenciados internamente pelos profissionais do HGG.




Programa de Alzheimer

Atende pacientes encaminhados com suspeita da doença para avaliação clínica e recebimento da medicação pelo Centro de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa.




Programa de Atenção ao Pé Diabético

Mantém uma rotina de atendimento ambulatorial que visa garantir a avaliação regular dos pés dos pacientes diabéticos para detecção precoce de problemas.




Programa da Asma

O objetivo do Programa é oferecer assistência aos pacientes asmáticos, assistência esta que inclui, além da terapêutica medicamentosa adequada, um programa educativo especialmente elaborado, com ênfase em higiene ambiental e automanejo na crise aguda.




Programa da DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica)

Desde maio de 2003 vem sendo desenvolvido no ambulatório de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica o Projeto Alivi-Ar, cujas estratégias para o diagnóstico, o estadiamento e a terapêutica dos casos seguem rigorosamente as diretrizes nacionais da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) para o manejo da DPOC.




Programa de Tuberculose

Os pacientes com tuberculose passam pela triagem no ambulatório do HGG, são devidamente diagnosticados, tratados e contrarreferenciados para a rede primária. Casos mais graves são encaminhados para o Hospital de Doenças Tropicais - HDT.




Programa de Odontologia para Pacientes Especiais

O Hospital Alberto Rassi é referência para atendimento odontológico a pacientes portadores de necessidades especiais, que necessitam de ambiente cirúrgico para solução de seus problemas bucais por não se adaptarem ao atendimento convencional, em consultório. Uma equipe composta por cirurgiões-dentistas especialistas, com suporte de médicos anestesiologistas e da equipe cirúrgica é responsável pelos atendimentos.




Núcleo de apoio ao paciente paliativo - NAPP

Visando conforto e a qualidade de vida dos pacientes e seus familiares, o Núcleo de Apoio ao Paciente Paliativo – NAPP é um serviço que visa fornecer apoio à equipe assistencial, pacientes e seus familiares, diante de uma doença grave que ameace a continuidade da vida. Pode atuar nos momentos iniciais e finais das doenças, prevenindo sofrimentos desnecessários, proporcionando conforto à vida dos pacientes e familiares. A abordagem ocorre em portadores de doenças graves, que ameacem a continuidade da vida e que apresentem sintomas de sofrimento. Também é realizado um trabalho com as famílias que precisam de apoio para lidar com a doença do paciente.





Fonte: IDTECH / HGG





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.